Jet lag: o que é e como evitar

Atravessar continentes e fusos horários em uma viagem longa pode gerar pequenas alterações no nosso organismo. Uma delas é o jet lag. Leia o texto para saber sobre esse distúrbio e como evitá-lo!

Quem viaja longas distâncias de avião já está acostumado a atravessar diversos fusos horários. Nesses deslocamentos, é comum sofrer alguns efeitos no corpo por conta da mudança brusca de horário. Isso é o que chamamos de jet lag.

O jet lag nada mais é que aquela sensação de cansaço e mal estar físico quando viajamos para países com fuso-horário diferente do nosso. Por exemplo, se você viajar ao Japão – que tem o horário totalmente invertido que o brasileiro – muito provavelmente estará propenso a sentir essa mudança.

Mas para que você se prepare e entenda um pouco mais sobre esse distúrbio, vamos te explicar quais são os sintomas e como você pode aliviar essa sensação.

Quais os sintomas do jet lag?

Apesar de parecer apenas um problema de adaptação do sono, o jet lag gera sintomas bem maiores do que só não conseguir dormir. Com o relógio biológico dessincronizado com o novo fuso horário, há diversos problemas que vão desde o horário das refeições até uma desorientação devido à exposição da luz.

A síndrome é percebida facilmente a partir do cansaço e da dificuldade de concentração do viajante afetado. Como consequência, você pode ter diarreia, indigestão ou náusea – isso só no aparelho digestivo. Há também a insônia a noite com sonolência durante o dia e até mesmo uma dor de cabeça.

É possível evitar o jet lag?

Para pesquisadores americanos da Universidade de Standford, sim! Eles desenvolveram uma técnica que seria capaz de ajustar o relógio biológico do corpo do viajante com flashes curtos de luz e que, felizmente, teve resultados positivos em 39 voluntários. Funciona mais ou menos assim:

Nosso corpo está programado para funcionar baseado no padrão de dia e noite em que vivemos, certo? Logo, quando mudamos completamente esse padrão, nosso relógio biológico fica muito confuso (pense na troca para o horário de verão brasileiro, por exemplo. Com a mudança de apenas uma hora já sentimos a diferença).

Então, para os pesquisadores, quando o viajante dorme de frente para caixas que emitem flashs curtos e fortes de luz, ele tem seu relógio biológico ajustado em até duas horas. Esta luz teria a função de enganar o cérebro (ela chega até ele através da retina), dizendo para ele que o dia é mais longo do que realmente é.

Durante a pesquisa, os voluntários que estavam com o sono extremamente regulado por duas semanas tiveram de dormir sob a exposição dos tais flashes. Após o teste, eles relataram que na noite seguinte seu sono atrasou cerca de duas horas.

Outras formas de combater o jet lag

Apesar de os resultados dos pesquisadores americanos terem sido positivos, o fato é que estas cabines de flash ainda não estão acessíveis aos viajantes. Sendo assim, o jeito é lutar com as armas que temos.

A boa notícia é que, com alguns truques, você sente menos os efeitos do jet lag. Tudo é questão de se preparar – antes, durante e depois da viagem!

Antes da viagem

Mude o seu fuso algumas semanas antes

Se você já sabe qual o fuso horário de seu próximo destino, pode começar a se adaptar a ele mesmo antes de chegar. É quase a mesma lógica de adaptação que fazemos quando somos afetados pelo horário de verão.

Suponha que você fará uma viagem que vai alterar o seu fuso em três horas. Nestes casos, comece a adiantar as suas refeições de meia em meia hora, pelo menos duas semanas de antecedência. Ou seja: se o seu hábito de almoço é às 12h00, almoce às 11h30 duas semanas antes da viagem e 11h00 na semana de partida.

O mesmo raciocínio vale para a hora de dormir e de acordar – se for possível, é claro. Assim, você já previne alguns dos efeitos e diminui sua intensidade ao chegar no destino.

Descanse bem

Isso é uma dica válida para todo momento da vida, mas vamos especificar apenas para você se prevenir do jet lag. Principalmente na noite antes do voo, tente descansar o máximo que conseguir, sem deixar nada para última hora.

Organize as bagagens de mão, as que serão despachadas e todos os seus documentos no dia anterior. Deixe tudo separado e fácil de ser transportado para que o seu corpo descanse tudo que tem direito. Quanto mais descansado você estiver, melhor será a sua adaptação no fuso.

Durante e depois da viagem

Cuidado com algumas bebidas

No avião ou até mesmo na área de embarque, o cardápio de bebidas é extenso e tentador, mas tome cuidado. Ingerir bebida alcoólica pode causar uma leve desidratação e alguns enjoos.

Já bebidas com cafeína vão desestimular o sono e contribuir ainda mais para a pane em seu relógio biológico. Sendo assim, evite tudo que possa piorar a sensação de jet lag na chegada. Opte sempre pela água ou por outra bebida mais leve.

Faça o possível para aterrissar durante o dia

O nosso corpo é treinado a partir dos estímulos de luz. Quando a noite chega, somos bombardeados por hormônios que nos desaceleram e geram aquela sensação de sono, às vezes não atendida por conta de insônia – um sintoma clássico do jet lag.

Por isso, tente chegar no destino durante o dia – ou enquanto houver luz solar. É muito mais fácil se familiarizar com o novo fuso horário e os efeitos no corpo são menores. Priorize passagens com chegada prevista pela manhã ou tarde.

Fonte: Maxmilhas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *