Entenda a importância do seguro viagem na hora de viajar

Tire todas as suas dúvidas sobre o que é o seguro viagem, como ele pode ser usado, quando deve ser contratado e muito mais!

Ao se programar para viajar, é difícil não ficar com a cabeça a mil e com diversas coisas para planejar e organizar. Montar roteiro, reservar a hospedagem, preparar as malas e comprar a moeda do destino (quando necessário) são só alguns exemplos. Porém, há algo que, muitas vezes, não recebe a atenção que merece e que é essencial para garantir a sua própria segurança, a sua saúde e o seu bem-estar: o seguro viagem.

Por essa razão, reunimos algumas das perguntas mais frequentes sobre o assunto para explicar a você o porquê ele é tão importante e como pode lhe ajudar a se livrar de grandes perrengues capazes de colocar a sua viagem por água abaixo. Confira!

Por que é importante contratar um seguro viagem?

A resposta pode soar óbvia, mas é a mais pura verdade: imprevistos acontecem e, infelizmente, não estamos 100% imunes a eles. Em uma viagem para outro estado e, em especial, para outro país, você pode adoecer, se machucar ou mesmo se acidentar e precisar de atendimento médico ou internação.

Sem o seguro, é possível que tenha que desembolsar uma grande quantia, principalmente no exterior, já que diversas nações não contam com sistema público de saúde totalmente gratuito como no Brasil. Logo, arriscar não é um bom negócio.

Para completar, outras situações podem ocorrer e deixar você em maus bocados. Por exemplo, a perda de documentos, o extravio da sua bagagem ou o cancelamento de um voo.

Por isso, é fundamental contratar um bom seguro que lhe resguarde em meio a tantos cenários. Assim, você viaja com mais tranquilidade e segurança, pois sabe que, se necessário, terá todo o suporte que precisar.

É obrigatório ter um seguro ao viajar para o exterior?

Depende do seu destino. Se você vai embarcar para os EUA, a Argentina, o México, o Canadá, a Colômbia ou o Chile, por exemplo, não será exigido nada, mas, sim, recomendado — uma vez que prevenir é melhor do que remediar.

Contudo, há países que exigem que os turistas apresentem o certificado ou a apólice de um seguro viagem ao passarem pela imigração. É o caso das nações europeias (Alemanha, Bélgica, Itália, França, Holanda etc.) que fazem parte do Tratado de Schengen — que estabelece a obrigatoriedade de que todos os visitantes estejam segurados e com uma cobertura mínima de 30 mil euros.

Qual a diferença entre seguro viagem e assistência viagem?

Outra dúvida bastante comum sobre seguro viagem é qual a diferença dele para a assistência viagem. Por isso, para esclarecer o assunto de uma vez por todas, saiba que o primeiro é um serviço destinado a ressarcir os seus eventuais custos ao decorrer da sua viagem, como atendimento médico, odontológico e/ou hospitalar.

Por outro lado, o segundo funciona como um serviço intermediário. Ou seja, caso precise de algum auxílio (que pode gerar gastos), basta entrar em contato com ele. A partir daí, a sua assistência viagem vai lhe redirecionar para a companhia parceira no país de destino, a qual ficará encarregada de atender e ajudar você.

Meu cartão oferece seguro viagem como benefício. Vale a pena?

Você é do tipo que gosta de concentrar os gastos no cartão de crédito, seja para aumentar mais rapidamente o limite, ganhar milhas ou desfrutar de determinadas vantagens concedidas pela operadora?

Então, certamente, já ouviu falar que as principais bandeiras oferecem esse serviço como um benefício extra e sem custos adicionais em determinadas modalidades (master, infinity, black, platinum etc.). Não é para menos que muitas pessoas ficam em dúvida se optar por ele é ou não uma boa ideia.

Por isso, antes de tomar qualquer decisão, vale a pena checar os pormenores dele. Afinal, é provável que você se depare com uma cobertura básica e um limite de tempo de estadia no exterior (geralmente, um ou dois meses) que não atendam às suas necessidades.

Como escolher o melhor seguro viagem?

Para escolher o melhor seguro viagem, é imprescindível prestar atenção às coberturas oferecidas e aos limites estabelecidos para cada uma delas. Entre as principais, estão:

  • despesas médicas, odontológicas, fisioterapêuticas e farmacêuticas;
  • seguro bagagem para extravio e danos;
  • repatriação médica;
  • regresso sanitário;
  • invalidez permanente;
  • interrupção ou cancelamento de viagem.

Fora isso, não deixe de especificar o motivo da sua viagem na hora de contratar o seu seguro. Se for viajar para praticar esportes radicais e de aventura, precisará de uma cobertura diferenciada e mais completa em caso de acidentes.

Como última dica, não deixe de pesquisar pelo histórico, a qualidade de serviço e a presença ao nível internacional das seguradoras antes de optar por uma.

Quanto vou pagar por um seguro?

Por fim, você deve estar se coçando de curiosidade para saber quanto pagará em um seguro viagem, não é mesmo? Acontece que, ao contrário do que muitos pensam, não há uma resposta exata. Isso porque o preço vai depender de uma série de fatores. Alguns deles são:

  • a variação do câmbio;
  • a sua idade;
  • a duração da sua viagem;
  • o(s) destino(s) que será(ão) visitado(s);
  • o seu quadro de saúde;
  • a possibilidade da prática de esportes radicais.

Porém, como sempre estamos aqui para ajudar você, trouxemos um exemplo simples e a simulação de uma das maiores seguradoras do mercado, a SulAmérica. Trata-se de uma viagem durante o mês de julho de 2019 (30 dias exatos) para um país europeu pertencente ao Tratado de Schengen, como a Alemanha.

SulAmérica — plano Europa Compacto

Custo total de R$ 721,45 e com os seguintes valores de cobertura:

  • extravio de bagagem: R$ 3.000,00;
  • cancelamento e interrupção de viagem: R$ 4.000,00;
  • despesas jurídicas: € 1.000,00;
  • traslado de corpo: € 30.000,00;
  • traslado médico: € 30.000,00.

Fica a dica: em apenas 4 passos, você faz a sua contratação.

E então, conta pra gente: sanou suas dúvidas sobre o que é o seguro viagem e, em especial, qual a importância dele para a temporada que você pretende passar no exterior? Pois, então, não abra mão de contratar um, mesmo que o seu destino não exija o serviço oficialmente. Afinal, como diz o ditado, o seguro morreu de velho!

E se você tem amigos e familiares que também estão planejando embarcar para o exterior, já sabe: compartilhe este post com eles nas redes sociais!

Fonte: Maxmilhas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *